Segundo Marmuthe, gestão atual economizou cerca de R$ 8 milhões que podem servir para compra dos equipamentos

O vereador Marmuthe Cavalcanti afirmou que a Prefeitura da Capital possui recursos para a aquisição dos tablets prometidos pelo prefeito Cícero Lucena (Progressistas) para alunos da Rede Municipal de Ensino. O parlamentar destacou, durante pronunciamento na sessão desta quinta-feira (29) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), que os estudantes não podem perder mais um ano letivo.

Segundo Marmuthe Cavalcanti, a prefeitura deixou de pagar os prestadores de serviço da Educação em sua totalidade nos meses de janeiro e fevereiro deste ano. “O valor normal pago aos prestadores de serviço no mês de novembro, ou seja, o número real que os prestadores recebiam era de pouco mais de R$ 4 milhões de reais. Em janeiro e fevereiro, foi pago apenas R$ 1 milhão em cada mês. O que representa uma economia de praticamente R$ 8 milhões. Isso comprova que tem recursos que não foram gastos, que poderiam ser utilizados na aquisição de tablets para que os alunos não sejam prejudicados”, explanou o vereador.

“Uma das promessas da gestão foi a compra e a entrega de tablets, equipamento que a gente precisa ofertar para os alunos. Não podemos deixar que seja construída em João Pessoa uma sociedade de ignorantes. A educação é a mais importante ferramenta de transformação social”, defendeu Marmuthe Cavalcanti, destacando as dificuldades das famílias e alunos na compra desse tipo de equipamento.

O vereador ainda ressaltou haver deficiência no programa de segurança alimentar no município. “Não há esforço em manter a alimentação diária dos alunos. Apenas este mês tivemos a distribuição de cestas básicas, mas o mérito é mais da população que doou os alimentos do que da própria gestão”, afirmou referindo-se à campanha de doação de alimentos que acontece durante a vacinação contra o novo Coronavírus.

Em aparte, o vereador Marcos Henriques (PT) afirmou que há divergências entre os discursos proferidos na campanha municipal e a prática de fato. “Ando assustado com tamanha estagnação do governo municipal. Na campanha foi mostrada uma coisa, mas na prática é outra totalmente diferente. Seduz prometendo diálogo constante, mas na prática o diálogo não existe. Promete programa de segurança alimentar, mas a população não é assistida. Espero que esse governo possa melhorar”, desejou o petista.

O líder do governo municipal na Casa, vereador Bruno Farias (Cidadania), rebateu as críticas à gestão sobre o programa de segurança alimentar. “A Prefeitura, nesses quatro meses de gestão, distribuiu 340 mil refeições, que foram oferecidas pelos restaurantes populares e cozinhas comunitárias. Distribuiu ainda 220 toneladas de alimentos. Comparada com a gestão anterior, a atual demonstrou compromisso, humanidade, eficiência e agilidade na distribuição dos alimentos”, afirmou.

Clarisse Oliveira / Secom-CMJP